Arquivo da categoria ‘Politica do Brejo’

A Ong Transparência Brasil divulgou, neste de mês de julho, pesquisa mostrando o desempenho parlamentar dos deputados estaduais com assento na Assembleia Legislativa da Paraíba. A organização considerou como amostragem os projetos relevantes e os de pouca relevância.
Nesse contexto, a deputada Léa Toscano (PSB), que tem atuação na cidade de Guarabira, apresentou somente um projeto durante o primeiro período legislativo e esse foi considerado, segundo a “Transparência Brasil”, de baixa relevância, ou seja, não serve para benefício popular.

Já o deputado Raniery Paulino (PMDB), diferente da sofrível situação de Léa, foi considerado o campeão de projetos apresentados. Segundo a Ong Transparência Brasil, Paulino apresentou 45 matérias, sendo quarenta consideradas de alta relevância e de absoluta serventia para o povo paraibano.

Veja a matéria completa

Mais de 33% (33,05%) dos projetos apresentados pelos deputados estaduais no primeiro semestre deste ano são sem relevância (Homenagens a pessoas e instituições; Batismos de logradouros, salas etc.; Simbologia; Cidades-símbolo, Cidades-irmãs; Pedidos de convocação de sessões solenes e especiais; e Datas comemorativas).

Ao todo, foram apresentadas à Assembleia Legislativa da Paraíba 357 matérias, sendo que 118 delas são irrelevantes. Os dados são do projeto Excelências da ONG Transparência Brasil e foram atualizados este mês. Por ser presidente da Casa, o deputado Ricardo Marcelo (PSDB) não é incluído.

E, nesse quesito, o deputado Francisco de Assis Quintans (DEM) se destacou. O democrata foi quem mais apresentou propostas sem relevância. Ao todo Quintans apresentou 27 projetos, sendo que 16 foram irrelevantes, o que faz dele o campeão em número de propostas sem relevância.

No entanto, os que menos mostraram serviço nos primeiros meses do novo mandato foram Antônio Mineral (PSDB) e Léa Toscano (PSB). Os deputados apresentaram apenas um projeto e o “único filho” deles foi para o quadro dos irrelevantes.

A deputada que também aparece entre os parlamentares campeões de matérias irrelevantes é Eva Gouveia (PTN). Das 13 propostas apresentadas por ela, 11 (84,61%) foram sem relevância.

Logo em seguida está Tião Gomes (PSL) que apresentou 17 matérias, das quais 10 foram irrelevantes.

Campeões

Os deputados que podem se considerar campeões de fato na Assembleia Legislativa são Raniery Paulino (PMDB) e Aníbal Marcolino (PSL). O peemedebista apresentou 45 projetos, sendo que apenas cinco foram considerados sem relevância. Já Aníbal apresentou 24 propostas na Casa Epitácio Pessoa e apenas três delas foram irrelevantes.

Outros que também se enquadram nessa categoria são os deputados Domiciano Cabral (DEM), Genival Matias (PTdoB), Gervásio Maia (PMDB), Márcio Roberto (PMDB) e Wilson Braga (PMDB). Apesar do número de propostas dos quatro ter sido baixo, todas as matérias foram consideradas relevantes. Domiciano apresentou seis projetos; Genival, cinco; Gervásio, sete; Márcio, dois; e Wilson, três.

Politicapb

Um projeto do deputado Walter Tosta (PMN-MG) estende para o funcionalismo público federal alguns princípios previstos na Lei da Ficha Limpa.

“A proposta contempla os princípios da isonomia e da razoabilidade, pois não é plausível que apenas determinado segmento dos quadros estatais tenha a Ficha Limpa como requisito para ingresso em suas atividades laborais”, disse Tosta.

Pela proposta, a posse em cargos públicos será impedida para os inalistáveis e os analfabetos; os membros do Poder Legislativo ou governadores, vice-governadores, prefeitos ou vice-prefeitos que tenham sido afastados por infringir as constituições federal ou estaduais ou as leis orgânicas do DF ou dos municípios; os chefes do Poder Executivo e os membros do Poder Legislativo que renunciarem a seus mandatos após o oferecimento de representação ou petição que gere a abertura de processo disciplinar por infringência às constituições federal ou estaduais ou às leis orgânicas do DF ou dos municípios; e os que foram condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, por crimes, por exemplo, contra a economia popular, o patrimônio público, o meio ambiente, além de crimes eleitorais, de tráfico de entorpecentes, racismo, tortura, terrorismo, submissão à condição análoga à de escravo.

Também será vetada a posse para os que tiverem suas contas relativas a cargos e funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável; os que forem condenados à suspensão dos direitos políticos, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, por ato de improbidade administrativa que tenha gerado lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito; os que forem impedidos de exercer sua profissão em razão de decisão do órgão profissional competente por infração ético-profissional; os que forem demitidos do serviço público em razão de processo administrativo ou judicial; e os magistrados e membros do Ministério Público que forem aposentados compulsoriamente como forma de sanção, que perderem o cargo por sentença ou que se aposentarem voluntariamente durante processo administrativo disciplinar.

Nos casos listados, salvo o primeiro deles, a vedação valerá por oito anos.

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

A Ficha Limpa foi sancionada em junho do ano passado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas o STF (Supremo Tribunal Federal) anulou a validade da lei nas eleições de 2010.

Pela proposta, políticos com “ficha suja” e os que escaparam de processo de cassação de mandato e perda dos direitos políticos não podem se candidatar nas eleições.

Ascom

O vereador peemedebista, Neco de Lolô, denunciou no jornal da 99/2ª Edição desta segunda-feira (18) um pagamento feito pelo atual prefeito, Antônio Justino, à Arquitetar Construtora e Serviços LTDA no valor de R$ 34.687,31 (Trinta e quatro mil, seiscentos e setenta e oito reais e trinta e um centavos) por um serviço de drenagem e pavimentação feito na Rua José Antônio da Silva (Rua Nova Brasília).

O detalhe é que, o vereador assegurou que a obra não foi executada; o que para o peemedebista, a ação se configurou como crime.

Procurado pela reportagem da Talismã FM o prefeito disse que Neco de Lolô está equivocado e se aproveita do momento para se auto promover. “O vereador está usando de má fé através de um documento de uma medição das obras de restauração e pavimentação que estamos fazendo no nosso município. Ele se aproveita para se auto promover.” Justificou Justino.

O prefeito explicou que foi feito um contrato com a Arquitetar Construtora e Serviços LTDA no valor de R$ 145.587,67 (cento e quarenta e cinco mil; quinhentos e oitenta e sete reais e sessenta e sete centavos) para realizar drenagem e pavimentação na Rua José Antônio da Silva que, foi danificada pelas chuvas e ainda em outras ruas. De acordo com o prefeito o valor pago, citado pelo vereador, se trata dos serviços executados nas Ruas Major Augusto Bezerra; José Carolino e na Pedro Teixeira.

“Todos sabem, inclusive o vereador Neco de Lolô que, já foi secretário de obras no município que, em toda medição vai aparecer o nome de todas as ruas. Neste caso o pagamento foi feito pelos trabalhos nas Ruas Major Augusto Bezerra; José Carolino e na Pedro Teixeira. Dessa forma não há irregularidade neste pagamento.” Explicou. “O pagamento da obra a ser executada na Nova Brasília ainda será apresentado, após sua realização, claro.” Completou.

Antônio Justino disse que ainda não iniciou a obra de pavimentação e drenagem na Rua Nova Brasília devido às condições climáticas e que, tão logo o tempo melhore, o serviço será feito.

Com a devida venia a Júnior Campos

De uns tempos para cá, os legisladores e gestores paraibanos estão buscando a proximidade com a população por meio de audiências públicas junto às comunidades. Porém, há um limite tênue entre a ação parlamentar ou executiva e a propaganda eleitoral antecipada. A “onda” foi intensificada com a implantação do Orçamento Democrático de João Pessoa, há seis anos, quando Ricardo Coutinho (PSB) assumiu a prefeitura da capital. Agora, iniciativas semelhantes ganham mais espaços entre os integrantes do legislativo.

Sobre a diferença entre a ação parlamentar ou do executivo e a propaganda antecipada, o procurador Regional Eleitoral Yordan Moreira Delgado alertou que apenas uma linha tênue separa as duas coisas. “A legislação eleitoral não entra em minúcias a respeito da atividade eleitoral nesse sentido. Mas, é importante ressaltar que qualquer pedido de voto, mesmo que a manifestação seja implícita, pode ser entendida como uma propaganda antecipada”, afirmou. “Cada caso é um caso. Se houver uma representação (denúncia junto ao Ministério Público Eleitoral), vamos apurar”, alertou.

Ainda de acordo com o procurador, nada impede do parlamentar ou gestor ouvir os temas ou os problemas da sociedade em audiências públicas. Yordan Moreira Delgado citou como exemplo uma investida mais expressiva junto à população, fazendo referência ao pleito. “Se (durante a audiência) o legislador disser que é candidato e pedir para que a pessoa se lembre dele, isso caracteriza uma propaganda antecipada”, observou.

O procurador Yordan Delgado lembrou que a atividade parlamentar é contínua, por isso é preciso levar em conta o contexto. “A legislação não proíbe o contato do parlamentar com a população. No entanto, a propaganda antecipada explícita ou implícita sim”, comentou.

O gestor ou legislador que tiver contato contínuo com a população, especialmente por meio de audiências públicas em comunidades, é preciso seguir alguns conselhos para evitar problemas. “Primeiramente, não deve haver pedido de voto, troca de favores ou promessas. O mais grave é uma doação com um pedido implícito de voto, pois além de propaganda antecipada é captação ilícita de sufrágio”, alertou Yordan Delgado.

Yordan também aconselha que gestores e parlamentares fiquem de olho em seus cabos eleitorais. “Às vezes o político não pede, mas o cabo eleitoral faz isso. Se o parlamentar estiver por perto pode ser responsabilizado. Quando se aproximar das eleições é preciso ser ainda mais cuidadoso”, enfatizou.

Do Blog com Jornal da Paraíba

Watermark_21A mãe do Vereador Pedro Cangula declarou, em entrevista ao blog, cuitegi noticias e ao portal brejonews que o prefeito Ednaldo só apoiará Chico Mala porque é quem tem dinheiro.

Ao se referir aos Vereadores de Cuitegi, ela afirmou que o Prefeito os chamou de lisos, e que não apoiará ninguém sem dinheiro. Para Maria das Neves isso foi uma desmoralização para com os Vereadores de Cuitegi, inclusive com o filho dela, Pedro Cangula, fato que a levou declarar apoio á candidatura de D. Dinha.

cuitegi noticias
http://www.paraiba.com.br/static/images/noticias/normal/1310761595367-14-bis1.jpg

A capital paraibana vai receber mais de 50 atrações para comemorar seus 426 anos de fundação. Na ‘Festa das Neves 2011’, nomes como Zélia Duncan, 14 Bis, Vander Lee, Banda Black Rio, Bartô Galeno, Marcio Greyck e Banda Eddie subirão ao palco armado no Ponto de Cem Réis.

A programação do evento, que começa sempre a partir das 19h, conta ainda com ‘Brincantes Brasileiros na Paraíba’, um encontro nacional de cultura popular tradicional, reunindo grupos de diversas partes do país, a exemplo do Rio Grande do Norte, Alagoas, Sergipe, Maranhão, Pernambuco, Minas Gerais e Amazonas. A realização é da Prefeitura de João Pessoa, através da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

A programação da Festa das Neves deste ano inclui 16 shows de artistas e grupos locais e nacionais, sendo dois por noite. A abertura, no dia 30 de julho, será animada pelo cantor mineiro Vander Lee, por volta das 23h. Antes, às 21h, quem sobe ao palco é a cantora paraibana Mira Maia. Destaque também para a apresentação de Zé Lezin, no dia 3 de agosto, que vai homenagear o humorista Shaolin, que se recupera de um acidente automobilístico.

A novidade da programação para a edição 2011 é o ‘Encontro Nacional de Cultura Popular Tradicional’, que reunirá mais 34 grupos e duplas, oriundos de diferentes regiões do Brasil. Todos vão se apresentar em palco instalado no Ponto de Cem Réis, a partir das 19h.

Entre os convidados nacionais da cultura popular estão o Maracatu do Camaleão Olinda-PE), Franklin Cascaes (Florianópolis-SC), Coco do Galo Preto (Recife-PE) e Jongo do Pinheiral (RJ). Também haverá apresentações de grupos do interior paraibano como o Babau do Mestre Clóvis (Guarabira-PB), o Congos de Pombal (Pombal-PB), Reisado de Zabelê (Zabelê-PB) e a Ciranda Nova Odete de Pitar (Pilar-PB), só para citar exemplos.

Isso sem falar de expressões bastante conhecidas na cidade, como a Ciranda de Vó Mera e seus Netinhos (Rangel), Cavalo Marinho Infantil do Mestre João do Boi (Bairro dos Novais) e Ciranda dos Tupinambás (Mandacaru), entre outros grupos e artistas. Será uma média de sete atrações por noite, incluindo shows e manifestações folclóricas.

Confira abaixo a programação completa da Festa das Neves 2011:

-‘Encontro Nacional de Cultura Popular Tradicional’

Local: Ponto de Cem Réis

Horário: a partir das 19h

30/07 (sábado)

Babau Joaquim Guedes (Bairro dos Novais)

Grupo de Maceió (AL)

Cavalo Marinho de Bayeux (Bayeux)

Coco e Ciranda de Caiana dos Crioulos (Alagoa Grande-PB)

31/07 (domingo)

Grupo de Natal (RN)

Congos de Pombal (Pombal-PB)

Ciranda de Vó Mera e seus Netinhos (Rangel/ João Pessoa-PB)

Coco do Mestre Zé Zuca (Queimadas-PB)

Grupo de São Luiz (MA)

01/08 (segunda-feira)

Babau de Nestre Clébio (Guarabira-PB)

Lapinha de São Sebastião (Bairro dos Novais/ João Pessoa-PB)

Coco do Mestre Benedito (Cabedelo-PB)

Coco do Galo Preto (Recife-PE)

02/08 (terça-feira)

Babau do Mestre Clóvis (Guarabira-PB)

Jongo do Pinheiral (RJ)

Nau Catarineta (Cabedelo-PB)

Lindalva e Lavadeira (Várzea Nova/ Santa Rita-PB)

Coco Novo de Quilombo de Gurugi (Natuba/ Conde-PB)

03/08 (quarta-feira)

Cavalo Marinho Infantil do Mestre João do Boi (Bairro dos Novais/ João Pessoa-PB)

Ciranda Nova Odete de Pitar (Pilar-PB)

Grupo de Lagoa Santa (MG)

Grupo de Belo Horizonte (MG)

04/08 (quinta-feira)

Zezinho da Borborema e Curió de Bela Rosa (Guarabira-PB e Pedras de Fogo-PB)

Coco da Baía da Traição (Aldeia Cumaru/ Baía da Traição-PB)

05/08 (sexta-feira)

Boi de Reis Estrela do Norte (Bairro dos Novais/ João Pessoa-PB)

Maracatu do Camaleão (Olinda-PB)

Grupo de Manaus (AM)

Reisado de Zabelê (Zabelê-PB)

Ciranda dos Tupinambás (Mandacaru/ João Pessoa-PB)

Documentário ‘Missão de Pesquisas Folclóricas’, de Mário de Andrade (1938), com 25 minutos (SP)

06/08 (sábado)

Grupo de Laranjeiras (PB)

Penha Cirandeira (Várzea Nova/ Santa Rita-PB)

Banda Cabaçal do Mestre Zé Pretinho (Tavares-PB)

Grupo de Vitória (ES)

-Shows

Local: Ponto de Cem Réis

Horário: a partir das 21h

30/07 (sábado)

Mira Maia

Vander Lee

31/07 (domingo)

Polyana Resende

Quarteto em Cy

01/08 (segunda-feira)

Cabruera

Banda Eddie

02/08 (terça-feira)

Banda Tuaregs

Marcio Greyck

03/08 (quarta-feira)

Banda Auto Pista

Bartô Galeno

Show de Zé Lezin (homenagem a Shaolin)

04/08 (quinta-feira)

Banda Sonora Samba Groove

Banda Black Rio

05/08 (sexta-feira)

Orquestra de Câmara Cidade de João Pessoa

Zélia Duncan

06/08 (sábado)

Paulo e Babi

14 Bis

 Secom-JP

 

O senador Cícero Lucena, presidente estadual do PSDB, demonstrou ontem tranqüilidade com a debandada de aliados políticos para o lado do grupo adversário, liderado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB).

Ele anunciou que está “do lado do povo e que o povo saberá julgar essas atitudes quando chegar na hora certa”. Ele ainda criticou duramente a mudança de comportamento dos ex-aliados.

Segundo Cícero, a população está vendo essa mudança de comportamento, considerada inexplicável de tucanos como os deputados estaduais Hervázio Bezerra, João Gonçalves.

“O que me chama a atenção, é que antigamente as lideranças do PSDB não prestavam e agora estão prestando. A quem eles acham que estão enganando?”, questionou o senador.

Se apresentando com pré-candidato do PSDB à Prefeitura de João Pessoa, nas eleições do próximo ano, Cícero Lucena poderá perder ainda outros aliados políticos e enfraquecer projeto de governar a Capital pela terceira vez.

Quem também estaria de malas prontas para abandonar o leque de aliados do senador tucano seria a suplente Vera Lucena que deve assumir a titularidade do mandato na Câmara de João Pessoa nos próximos dias, na vaga que será aberta com a licença do vereador Raoni Mendes (PDT), que aceitou o convite do prefeito Luciano Agra (PSB) para ser secretário da Transparência Pública do Município.

Tucano defende candidatura própria

A saída para unificação e fortalecimento do partido é o lançamento de candidatura própria à Prefeitura de João Pessoa. Foi o que afirmou o deputado federal Ruy Carneiro, presidente do PSDB na Capital, em entrevista ao programa Correio Debate (Correio Sat), ontem.

O parlamentar ressaltou, que apesar de respeita a posição de alguns integrantes do partido em aderir ao Governo, quem elege e quem não elege é a população. Segundo ele, é muito desagradável perder o apoio de lideranças políticas, mas o partido deve se fortalecer, se credenciar cada vez mais junto à população, que está atenta a tudo.

“Por isso, defendo o lançamento de candidatura própria, com o objetivo de esperar a decisão do povo. Essa é a minha posição, estarei ao lado de Cícero ou de outro nome que seja definido pelo partido para disputar à sucessão municipal.

Noticias da Paraíba

A GRANDE FARRA DO DINHEIRO PUBLICO…

O desconhecimento sobre determinados conceitos produz confusão e equívocos estridentes. Ética, ou a falta dela, por exemplo; é uma palavra que só tem uma única leitura. O mínimo que se espera de uma crítica, é que, primeiro, se apresente factualmente a definição com que se está a trabalhar e, a partir daí, se apresente os fundamentos fatuais do argumento contrário.

Jogar palavras ao vento só faz espalhar as folhas da relva, o que pode inicialmente impressionar os mais incautos, mas que não resiste ao teste da necessária calma e prudência analítica.
Os exemplos que vão surgindo acerca da problemática existente na gestão da Prefeitura de Dona Inês, até, por acaso ou não, corroboraram a tese das acusações apresentadas em devido tempo nos locais apropriados para o efeito, nomeadamente no TCE, entre outros, e que são algumas das instituições que podem e devem esclarecer os assuntos sem nos deixar a mais pequena duvida.

Na verdade, e face a gravidade de algumas situações, eu reclamaria os serviços de mais uma entidade, neste caso a Policia Federal, pois que o assunto, face a gravidade de algumas acusações, já se esta a tornar um autentico caso de policia.

Tal como os assuntos estão a ser abordados, mais parecem para o gestor, simples brincadeirinhas de meninos de escola, estas
situação das acusações de improbidade administrativa, malversação do dinheiro publico, beneficiamento descarado de aliados políticos, troca de favores para beneficiar familiares tanto na Prefeitura de Dona Inês como em Prefeituras vizinhas.

Parece brincadeira, mas não é, porque esta tudo bem a vista de todos, e quem duvidas tiver é só consultar o Sagres, e pode constatar a realidade e quem afinal está pessoalmente envolvido em; toda esta trama.

A mais recente “brincadeira” diz respeito a segurança prestada por uma empresa que até prova em contrário se tem que considerar como fantasma, pois dizem não existe, e que se saiba, e até prova em contrário, alguma relação oficial dos trabalhadores com registros, com descontos ao INSS e com necessário depósito junto ao FGTS. A não existirem esses tais registos, sobretudo a não existirem os ditos cujos a data do desenvolvimento do assunto, fica mais do que comprovada a existência de uma empresa fantasma ou se lhe quiserem chamar de laranja, pois acaba por dar rigorosamente no mesmo.

Nem seria preciso o Senhor Prefeito nos vir dizer que as denuncias tinham partido de Vereadores, da oposição, pois isso todos nós já percebemos, o que nós não sabemos foi tudo aquilo que ele ainda não esclareceu acerca dessas graves acusações que lhe são imputadas, e tentar jogar areia ao vento nunca deu bons resultados, pois acaba por atacar a visibilidade, e obrigar terceiros a limpar a vista, que é como quem diz, esclarecer superiormente as duvidas…

Muito má anda a integridade pessoal de alguém que se escusa de responder aos quesitos e prefere tentar contra-atacar com argumentação desgastada e barata referente a outros assuntos que a nada dizem respeito com os assuntos abordados, tentando dessa forma misturar alhos com bugalhos, na tentativa de colocar duvidas na mente da opinião publica.

Aqui não existem duvidas. Existem dados oficiais, que mesmo que possíveis de aceitar, (não sei por quem…) não tem o mínimo de lisura, face as ligações pessoais que surgem envolvidas em toda a “novela”.

Ora se existem vereadores a receber dinheiro ilegalmente, e o tem que devolver, ou já devolveram, pois muito bem, que o devolvam, e que nós também saibamos o que se passa, ou passou na realidade dos casos, mas esse é outro assunto bem diferente e que em nada tem que ver com aquilo de que agora acusam o Prefeito e a sua gestão. È tentar misturar agua com azeite, e como nós bem sabemos; esses dois componentes não se misturam, por mais tentativas que se possa fazer.

Por outro lado vir chamar de empresaria a tal de Dona Janaina, essa não cabe na cabeça nem do maior animador circense. Como alguém pode ser empresário e não ter sequer empregados legalmente registados…  

Antônio Justino rebateu, ou tentou rebater como lhe foi possível, e esta no seu mais do que legitimo direito, (direi mais até; no dever…) as acusações dos vereadores João de Deus (PMDB), Manoel Ferreira de Araújo (PMDB) e Maria Ivonete (PSDB), afirmando que os mesmos trabalham apenas para prejudicar a administração municipal e que recebem dinheiro ilegalmente. Ai sim, a porca torce o rabo, pois se essa situação não corresponder a realidade vamos ter mais animação na Serra… e mais uma “novela” de horário nobre!

Cabe agora aos visados apresentarem a sua legitima defesa, perante as graves acusações que também lhes estão a ser imputadas, neste caso pelo próprio Prefeito. Mas isso são outros quinhentos…

Por outro lado o Senhor Prefeito não pode estar a espera que Vereadores da oposição o chamem para comer bolinhos e beber um trançadinho… Muito mal andaria a politica se agora os Vereadores fossem todos alinhados a um só lado. A politica obviamente que vive do contraditório, e para mim próprio era estranha até aqui a falta de visível combate politico. Para mim, a Prefeitura vivia numa prefeita paz e harmonia, com total liberdade de atuação e sem aparente controle por parte de quem deve controlar a sua atuação. Foi, aliás; na minha modesta opinião, essa mesma falta de controle que levou ao surgimento das situações que agora estão a ser levantadas. O excesso de liberdade na atuação conduz normalmente aos descuidos…
As coisas estão mais claras do que agua pura…

Assim, e entre outras situações:

A Prefeitura abre um processo para abastecimento de combustíveis, e indica 12 km como limite para os concorrentes. Muito bem, 12 km é a distancia até Bilinguim, e que se saiba não existe outra possibilidade de concorrente surgir, que não, por ironia e grande coincidência, a irmã do Vice-Prefeito.

Eu chamo a isso um descarado concurso direcionado!

Um concurso só possível de existir no Brasil, nos moldes em que foi realizado.

Pelo menos por uma questão de ética, deveria ter sido aberto concurso com um limite geográfico mais alargado, possibilitando o surgimento de outros concorrentes. Quem abre um concurso nestes moldes esta sujeito a mais cedo ou mais tarde vir a ser questionado acerca da sua ética.

Repito:

Para mim é descarada falta de ética pessoal, politica e de respeito pelos cidadãos a abertura de um concurso de abastecimento, seja do que for, nos moldes em que foi aberto. Claramente direcionado!!!

Mas avancemos:

A Prefeitura lança obras de cortes de terra e abertura de estradas, e em vez de utilizar os funcionários da Prefeitura, vai contratar terceiros para executar os serviços, e ainda por cima com equipamentos da Prefeitura.

Não viria mal algum ao mundo, se existissem; falta de funcionários na Prefeitura para levar esses trabalhos a efeito, mas…

Por ironia do destino quem acaba por realizar os trabalhos é precisamente alguém com quem o Prefeito tem ligações familiares, mesmo que indiretas.

Tal como diz o velho ditado:

Não podemos aparentar somente ser sérios, temos que provar que o somos, e neste particular em nada abona o bom nome tanto da Prefeitura como do Prefeito, como até mesmo dos outros intervenientes na situação, esta relação de manifesta promiscuidade familiar cai mal nos ombros de cada um. Direi eu que é demasiado indigesta!!!

Muito mais assuntos acabaram por vir a baila, e me dizem que outros mais vão surgir, mas no caso particular da segurança nos edifícios, vaia… vaia… que se ultrapassou tudo o que seria desejável e imaginável poder algum dia acontecer…

Esperemos que as autoridades possam em tempo útil esclarecer todas estas situações, e todas as outras que, dizem, vão surgir pelo caminho.

Calado estava, até aqui, observando atentamente o andamento da carroça, mas terei ainda assim que dizer desde já que com tanta carga em cima, algum dia a coisa não dá certo não… a carga acaba por virar na pista…

Parece mesmo que já não esta a dar nada certo, e de algo não posso desde já considerar como visível, que é a manifesta falta de ética no tratamento da coisa publica.

A chamada coisa publica não pode ser tratada como uma farra!!!

Tal como escrevi a dias; se duvidas ainda tivesse, elas estão todas desfeitas.

Agora, colocado perante os fatos devidamente documentados, passei a só ter certezas!!!

“João Massapina”
 O cartoon do dia é dedicado a certos Prefeitos que mesmo colocados perante fatos impossiveis de serem alterados, adoram tentar dar musica aos cidadãos!!!

musiquinha

Acusado de improbidade administrativa, malversação do dinheiro público, beneficiamento de aliados políticos, troca de favores para beneficiar familiares em prefeituras vizinhas, alienação irregular de automóveis públicos e de pagar R$ 42 mil a uma dona de casa para prestar supostos serviços de segurança em prédios públicos e eventos festivos no município de Dona Inês, o prefeito socialista Antônio Justino (PSB) falou com a reportagem do PolêmicaPB, se defendeu das acusações e atacou vereadores da oposição denunciando que os mesmos teriam sido notificados pela justiça para devolver dinheiro recebido de forma ilegal.

Antônio Justino (PSB) explicou que as denúncias veiculadas na imprensa que colocam em dúvida a administração pública de Dona Inês partiram de vereadores da oposição e não possuem consistência. Ele disse que todos os procedimentos na prefeitura municipal são realizados às claras e na licitação para contratação de segurança especializada para a cidade não foi diferente. “Todo o processo licitatório foi realizado de forma legal e apenas a empresa vencedora apresentou proposta”, justificou. “Janaína Ferreira Lopes, que eles chamam de dona de casa, é uma empresária no município”, garantiu.

Ainda durante entrevista, Antônio Justino rebateu as acusações dos vereadores João de Deus (PMDB), Manoel Ferreira de Araújo (PMDB) e Maria Ivonete (PSDB), afirmando que os mesmos trabalham apenas para prejudicar a administração municipal e que recebem dinheiro ilegalmente.

Ouvida pela reportagem do PolêmicaPB, a vereadora Maria Ivonete (PSDB) reforçou as denúncias contra o chefe do executivo municipal, explicou as acusações de recebimento de dinheiro ilegal e foi mais adiante, denunciou que além da dona de casa “usada como laranja” para receber empenhos da Prefeitura Municipal de Dona Inês, o filho de um vereador da base de situação também recebe empenhos da prefeitura de Dona Inês pelo aluguel de um equipamento de som que, segundo ela, não existe.

Portal Paraíba 1